sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Miminhos de bacalhau ou pasteis de nata de bacalhau ou pasteis de nata da Noruega




A inspiração foi do blog Ponto de Rebuçado e pensei logo em fazer. Gosto muito de me inspirar noutros blogues, mas depois, quando vou por a receita em pratica não sigo tudo à letra. Gosto muito de improvisar com o que tenho à mão, e desta vez não foi diferente. Pareço que sinto todos os paladares na boca antes de os provar....sabem? Assim, como quando temos um projecto na cabeça ---hum esqueçam lá isso! Vamos à receita dos pasteis da Noruega - ehehheh!!!


O que vamos precisar:
1 massa folhada sem gluten (Croustipate)
1 pacote de natas
1 cebola 
2 dentes de alho
1 fio de azeite
coentros q.b.
pimenta q.b e sal
Courgetes em cubinhos pequeninos

Mãos na massa:
Cozer o bacalhau em água. Assim que estiver cozido, retirar as peles e as espinhas e desfiar. Reservar.
Numa frigideira com um fio de azeite alourem a cebola e o alho, tudo bem picadinho. Quando loura adicionem-lhe o bacalhau, sal, pimenta, os coentros picados e envolvam tudo. Pouco depois adicionem as courgetes e deixem cozinhar mais um pouco.
No fim juntem as natas e cozinhem mais um pouco.

Massa:
Com a ajuda de um rolo estiquem a massa para ficar mais fininha e render mais pasteis. Forrem as forminhas e piquem a massa com um garfo. Encham-nas com o preparado de bacalhau e levem ao forno a 180ºC até ficarem lourinhos.
Deliciem-se porque são O-TI-MOS! Obrigada Ponto de rebuçado pela partilha.

*Bj sem espiga

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Pescada escondida

A pescada que ninguém percebe que está a comer! 


Disse à minha mãe que ia fazer pescada cozida para o jantar e ela  torceu logo o nariz! Percebeu que ia usar pescada congelada, que na verdade tem um gosto pouco ou nada parecido com a pescada fresquinha. Aconselhou me a não fazer, porque vinham pessoas cá a casa e isso não se dava a visitas eheheeh Arrisquei e todos aprovaram (ela incluída).

Partilho convosco como fiz e vão ver que todos vão gostar aí em casa. Na verdade é um descanso este prato de forno e conforto, quando temos visitas. O prato fica no forno e nós junto das visitas. O que mais gosto!! 

O que vamos precisar:
4 lombos de pescada (para 4 pessoas)
3 dentes de alho
1 cebola 
1 alho francês
300g de cenoura ralada (3 mais ou manos)
sal e pimenta
1 limão
coentros q.b.
delicias do mar sem glúten, a gosto
Batata palha sem gluten

De inicio preparei logo o seguinte:
Duas fatias de pão sem gluten + coentros q.b + 2 ou três colheres de pão ralado sem gluten + um fio de azeite +1 dente de alho grande
Num triturador reduzir tudo pó. Vamos ficar com um belo pão ralado aromatizado a alho e coentros - esta mistura, enquanto está no forno vai deitar cá um cheirinhoooo, que vão ver! Reservem.

Para o bechamel:
50cl de leite
60 g de Maizena
60 g de manteiga
sal e pimenta
1 pacote natas

Mãos na massa:
Temperar os lombos de escada com limão, sal e pimenta a gosto. Levem-nos a cozer em cerca de 50cl de leite junto com um dente de alho e tomilho (pode ser outra erva aromática que gostem ou que tenham em casa). Quando cozido retirem a pescada e lasquem-na. Reservem. Assim como o leite da cozedura.

Numa frigideira com um fio de azeite alourar a cebola picada e o alho picado. Quando refogados adicionem o alho francês e a cenoura ralada até amolecerem. E por fim juntem-lhe a pescada desfeita e as delicias do mar. Envolvam tudo e reservem.



Para o molho bechamel:
Num tacho levar ao lume o leite onde cozeram a pescada, a manteiga, sal e pimenta e a Maizena (desfeita num pouco de leite frio). Vão mexendo sempre até engrossar. No fim adicionem as natas e envolvam cozinhando mais um pouco.

Num tabuleiro de ir ao forno colocar uma camada de batata palha no fundo, por cima a mistura de pescada e por fim outra camada de batata. No fim, por cima, vertam o molho branco com a ajuda de uma colher, distribuindo uniformemente por todo o tabuleiro. Se quiserem piquem com a ajuda de um garfo para ajudar o molho a ir para baixo e a preencher todos os vazios deixados pelas batatas. 
Polvilhem com o vosso pão ralado e levem ao forno até ficar bem lourinho. 

Bom apetite 
*Bj sem espiga

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Dia dos namorados sem gluten

(eu sei que foi dia 14 de Fevereiro) 

Desculpem-me meus queridos leitores, que só me seguem por aqui. Tenho publicado bem mais no Facebook do que no blogue. Mas é só mesmo porque o telemóvel está sempre mais à mão, nada contra vocês.

O dia dos namorados passou e eu nem por aqui passei, que vergonha!!!!

Deixo-vos o meu bolinho sem gluten que fiz especialmente para este dia tão especial e para receber um casal de pombinhos que se juntou a nós para jantar!

Cá está ele bem piroso e lamechas como o amor deve ser!🤣🤣verdadeiro! 





O bolinho é de cenoura tem recheio de leite condensado e cobertura de pasta de açúcar, tudo mas tudo aqui é gluten free, claro! 




Adorei fazê-lo...e come-lo também, váa! Estava bem bom!

segunda-feira, janeiro 23, 2017

Trança folhada com creme de pêra| Sem glúten e Sem Lactose

No fim de semana apeteceu-nos um docinho! 
Mas sabem aquela vontade que nos dá e não sabemos bem o que comer para matar a gula? Era assim que estávamos!! 
Tinha-me sobrado uma massa folhada, dos pasteis de nata que tinha estado a fazer, e pensei usa-la numa tarte de pêras! Pois bem, não saiu tarte mas sim uma trança folhada. Tudo a ver, dizem vocês! 


O recheio pode ser do que quiserem, ou do que mais gostarem....de puré de fruta, de cubinhos de pêra ou maça polvilhados só com canela, de uma compota mais gulosa que tenham em casa, com mais ou menos açúcar, enfim, vocês decidem. 



 * com as laterais redondas que sobraram, uni-as e fiz essa amostra de folhado eheheh nada vai fora, claro!

O meu recheio fiz assim:
O que vamos precisar:
1 embalagem de massa folhada Croustipate
3 pêras descascadas e cortadas em cubos
1\4 de Courgete descascadoe e cortado em cubos
Sumo de uma laranja grande
1 a 2 estrelas de anis
1 pau de canela
5 a a 6 colheres de sopa de açúcar (podem optar por não colocar açúcar, como optar por colocar mais)
1 ovo para pincelar 
amêndoa ralada ou sementes ou açúcar em pó para polvilhar 

Mãos na massa:
Num tacho levar ao lume o sumo de 1 laranja com os restantes ingredientes, mexer para envolver todos os ingredientes e se misturem com o sumo da laranja. 
Deixar ferver bem, indo mexendo aos pouco,  até ficar meloso e a fruta suficientemente mole. Retirar as estrelas de anis e o pau de canela e com a ajuda de uma varinha mágica reduzir a mistura a puré. Se acharem que a mistura ficou muito liquida levem de novo ao lume até engrossar mais um pouco.

Estendam a massa da Croustipate, com um rolo de estender, aproximado-a de um formato mais rectangular ou quadrado. Cortem as partes redondas das pontas e reservem.*


O corredor que fica no meio será onde vão colocar o recheio. Nas laterais façam cortes na diagonal iguais de um lado e do outro (o meu exemplo não serve ahahah). Com um pincel molhado humedeçam as laterais, para que colem umas ás outras, quando estiverem a entrançar.


Comecem por enrolar uma das pontas de baixo e depois comecem a entrelaçar, colocando uma ponta de um lado por cima do recheio e depois uma ponta do outro lado e assim sucessivamente até terminar. 

Pincelem toda a trança com um ovo batido + um pouquinho de agua e polvilhem a gosto com a amêndoa picada ou sementes. Levar ao forno (190ºC)  até que fique cozida e dourada. Retirem do forno e deixem arrefecer um pouco. Podem devorar!!

*Bj sem espiga
Bom apetite

sexta-feira, janeiro 20, 2017

Pudim de chuchu | sem gluten



Quando recebi o meu cabaz biológico, vinham também uns chuchus, como não é habito nosso cá em casa ter este vegetal, e quando há é para a sopa que vai, perguntei ás minhas seguidoras e leitoras atentas do Facebook que mais poderia eu fazer com eles? Muitas foram as sugestões, doces ou salgadas, mas uma despertou-me a curiosidade!!! O pudim de Chuchu, sugerido pela minha querida Carla Silva.


Não posso ouvir nada que vou logo para a cozinha! Ou não fosse esta a minha grande paixão! 
Nunca em tal pudim tinha ouvido falar. Nem eu nem as pessoas que o experimentaram ontem à noite.

Levei-o para um jantar de amigos, ontem à noite, deixei-os comer primeiro. Provara e aprovaram! E depois perguntei-lhes se sabiam de que era? eheheheh Ninguém acreditava porque não tinha sabor a vegetais. Essa é a ideia!

O seu sabor é ótimo, super fresco e adorei a textura! 


O que vamos precisar:
1Kg de ChuChus
400g de açúcar 
3 ovos - como eram pequenos coloquei 4
3 colheres de sopa de Maizena 
1 colher de sopa de margarina ou manteiga
raspa de um limão 

Mãos na massa:
Pré-aqueçam o forno a 180ºC

Descasquem os chuchus e cozam-nos em água. Depois de cozidos escorram a água e reduzam-nos a puré (passei tudo na varinha mágica). Reservem para que o puré vá arrefecendo um pouco.

Numa taça batam o açúcar, os ovos, a manteiga e a raspa de limão. Depois juntem o puré de chuchu e por fim envolvam a farinha.

Untem uma forma de pudim ou uma forma de bolo (com buraco), com caramelo e vertam a massa (liquida) para dentro da forma. 

Levar ao forno a 180ºC, em banho maria, entre 1h a 1:20h (dependendo dos fornos).

Deixar arrefecer um pouco e desenformar cm cuidado!

|Esta receita foi sugerida pela leitora Carla Silva



Bom apetite 
*Bj sem espiga


terça-feira, janeiro 17, 2017

Bolo de tangerina feito no liquidificador | sem gluten

Quem me segue no Facebook viu o meu cabaz biológico que recebi de uma amiga. Imensas tangerinas, deliciosas, couves gigantes de tamanho e sabor, limões super sumarentos e entre outras gulodices biológicas. Para mim estes são, sem dúvida, os melhores presentes que posso receber. 

Para aproveitar as tangerinas, resolvi fazer um bolinho com elas. Este é sem duvida o bolo mais rápido e fácil de fazer. Ohhhhooh vão dizer: dizes sempre o mesmo!
A serio, olhem lá, é só misturar tudo num liquidificador, as tangerinas com casca e tudo (serio) verter a massa numa forma e levar ao forno. Acham difícil? Até o mais-que-tudo o fazia, mas ele gosta mais de o comer eehehe


O bolo é daqueles que tem o poder de "estar no meio de uma reunião e lembrar-me deste sacana"!! Caramba! O que vale é que o mais-que-tudo dá conta dele num ápice...e como menos! Olhos que não vêem coração que não sente, certo? E assim tambem me concentro mas é no tema da reunião!!!!

Este bolo fica bem húmido e cheio de um doce sabor a tangerina. E meus amigos virtuais mais lindos, enquanto está no forno deixa um aroma delicioso pela casa!


O que vamos precisar:

 2 chávenas de açúcar mascavado
1/2 chávena de óleo
2 chávenas e meia de farinha sem glúten (usei farinha Doves farm Self raising) 
1 colher de chá de fermento 
4 ovos 
2 iogurtes cremosos (usei marca Pingo Doce aroma de coco)
1 pitada de sal
2 tangerinas com casca + 1 sem (se não quiserem usar a casca, usem raspa de 4 tangerinas)

Para a calda:
sumo de 3 tangerinas 
3 colheres de açúcar em pó

Mãos na massa no liquidificador:
Pré-aquecer o forno a 180ºC.

No liquidificador juntar primeiro os ovos inteiros, o sal, o óleo, os iogurtes, o açúcar,  e as tangerinas cortadas em pedaços e sem caroços, caso os tenham. 
Verter a massa numa taça e envolver a farinha com o fermento.
Untar e polvilhar uma forma, verter a massa e levar a forno quente a 180ºC por 40 minutos (como todos os fornos são diferentes aconselho a passado este tempo fazerem o teste do palito. 

Para a calda, juntar o sumo das 3 tangerinas com o açúcar em pó e deixar ferver um minuto.

Depois do bolo estar cozido, desenformado e um pouco mais frio, verter a calda quente, aos poucos, por cima, até que fique húmido.

Este bolo, adaptado deste lindo blog/instagram, é simplesmente delicioso! Experimentem que não se vão arrepender.



Bom apetite
*Bj sem espiga 

quarta-feira, janeiro 11, 2017

Nuggets sem gluten

Nuggets extra saborosos e extra crocantes. Querem saber o truque?


Não sou de fazer fritos muitas vezes, mas tem dias, e muito de vez em quando, que me apetecem estes nuggets feitos em casa.

O truque é bem simples, para que fiquem mais saborosos, costumo juntar ao pão que vou ralar um dente de alho e coentros e trituro tudo ao mesmo tempo. Caso opte por pão ralado, sem gluten, de compra faço exactamente o mesmo. Ralo o(s) alho(s) com os coentros e no fim junto -lhe o pão ralado. Acabo de triturar, mais um pouco, para que fique tudo homogéneo.

Depois de ter o pão ralado aromatizado e os bifinhos de frango temperados com sal, pimenta e limão, passo-os no ovo batido, depois no pão ralado e volto a repetir este processo. De novo no ovo e depois no pão. Dupla camada o que os vai tornar super crocantes. 


Podem frita-los em óleo quente ou leva-los ao forno a 180ºC por 15 a 20 minutos (não é a mesma coisa mas é bem mais saudável).

*bj sem espiga 
e sim, os celiacos, podem comer nuggets!

quinta-feira, janeiro 05, 2017

Açorda de camarão sem gluten

Por aqui iniciámos o ano com um prato que tinha muitas saudades e que sendo celíaca me impedia de o comer! Mas aqui para a Rapariga como nada é impossível vai de experimentar  fazer uma açordinha de camarão sem glúten! Com o pão branco sem gluten da Garcia & Filhos, ficou divinal!



O que vamos precisar: (para uma açorda)
Pão sem gluten  (para uma pessoa 3 a 4 fatias da Garcia sem gluten)
2 dentes de alho 
Coentros q.b
Pimenta q.b
1/4 de cebola 
1 gema de ovo
Azeite
1 colher de sopa de polpa de tomate 
Camarão descongelados ou frescos (a quantidade que acharem)
Delicias do mar sem gluten - opcional 

Mãos na massa:
Arranjar os camarões. Descasque-os, retire a tripa e reserve as cascas.
Numa panela levar ao lume meio litro de agua, um pouco de sal e as cascas do camarão.Deixe ferver por 10 minutos.

Coe o caldo, com a ajuda de um passador. Coloque o pão aos pedaços numa tigela e regue-o com o caldo quente, até ficar bem embebido.

Num tachinho colocar um fio de azeite a cebola bem picadinha junto com o alho também picadinho e deixe alourar. Junte os camarões e salteio-os até que fiquem cozinhados. Retire-os do tacho e reserve.

À gordura que ficou no tacho junte o tomate e mexa, junte depois o pão escorrido e mexa novamente sem parar. Vá acrescentando caldo para que descole do fundo do tacho e fique com a textura que mais gostarem.

Apague o lume, rectifique os temperos de sal e acrescente um toque de pimenta. Junte os coentros picados e a gema de ovo e mexa sem parar, para não cozer a gema. Acrescente os camarões envolvendo-os no pão.

Delicia das delicias, esta bela maravilha matou-me a saudade de comer uma açorda de camarão. 





sábado, dezembro 31, 2016

Hoje à meia noite direi adeus a 2016!

Hoje à meia noite direi adeus a 2016! 
Direi a 2016 que vá e que não volte! Embora tivesse sido um ano de aprendizagem foi duro! A vida decidiu mostrar-nos, ainda que à bruta, o quanto fui fomos forte(s). Digo fomos, porque tenho hoje a meu lado, a pessoa que me diz ao ouvido, baixinho, todas as noites, que basta acreditar. A pessoa que não me faz perder o rumo e o sentido da vida. O meu guia! A minha luz! Cá dentro sei a força que tenho, a fé que acredito, a vontade que carrego, e a certeza que vou correr atrás. Hoje à meia noite, direi ao ouvido do meu guia o quanto me faz feliz, o quanto fomos felizes ainda que a vida nos tenha posto à prova... O quanto valeu a pena, acima de tudo! O bom que foi, de mãos dadas, dar a volta, voltar a acreditar e seguir em frente. A vida mostrou-nos que somos uma verdadeira equipa!
Hoje à meia noite quero abraçar-te, dizer-te obrigada e receber de braços abertos todos os dias que 2017 nos trouxer. Que seja como pedimos e como Deus permitir!

Boas entradas em 2017 e foco nas coisas simples e boas da vida, isso sim é o que interessa! Acreditem, vivam e sejam felizes! Um brinde à Vida, um brinde a Vós!



Receita do bolo de chocolate aqui 

sexta-feira, dezembro 30, 2016

Quiche de bróculos e bacon | sem gluten



As quiches são ótimas para aqueles jantares que queremos rápidos de se fazer e para os quais não temos muito tempo nem muitas ideias. 
Otimas, também, para jantares volantes de aniversario ou de festa com muita gente, em que numa fornada podemos fazer logo duas diferentes, ou mesmo para a noite de viragem do ano, porque não?

As quinches em tempos, para nós, Celiacos, não eram nada disto. Não havendo massas frescas à venda tínhamos de as fazer o que na maior parte das vezes não me corria nada bem, a massa ficava sem elasticidade e acabava por se partir. Eram muitas as vezes que saia desanimada. A Croustipate pós fim a esta guerra e tudo ficou mais fácil! Eles tratam da massa nós do recheio.

Aliás, aqui neste caso, pedi à Susane Booth uma sugestão para o recheio. Ao folhear o seu livro, o qual falei na minha pagina do Facebook, vi uma quiche de bacon e broqulos e decidi experimentar. TOP do TOP a combinação destes dois ingredientes numa quiche, por aqui, ficou aprovada.

Já agora o livro chama-se "Delicias Sem Gluten" inspira-nos com receitas ótimas, fáceis de fazer e ao contrario de tantos outros autores de livros de cozinha sem gluten, apresenta ingredientes práticos e fáceis de encontrar. Vale a pena, está à venda na Bertrand. 
   

 


O que vamos precisar:
1 massa quebrada (marca Croustipate)
2 colheres de sopa de polpa de tomate 
2 colheres de chá de azeite
6 fatias de bacon 
125 g de broculos
3 ovos
1 pacote de natas
85 ml de leite
sal e pimenta

Mãos na massa:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Forre uma tarteira com a massa quebrada. Espalhe a polpa de tomate sobre a base da massa.
Aqueça o azeite numa frigideira anti-aderente, junte o bacon e frite durante uns minutos, até estar dourado e ligeiramente crocante.
Entretanto coza os broculos ate estarem macios. Escorra-os e deixe arrefecer. Depois corte-os.
Espalhe o bacon e os broculos por cima da massa.

Bata os ovos, junte as natas, o leite e um pouco de sal e pimenta. Verta na massa e leve ao forno durante 30 minutos, ate dourar e o recheio ficar completamente solidificado.

Bom apetite 
*Bj sem espiga