segunda-feira, março 20, 2017

Queques saudáveis sem gluten e sem açucar

Estes queques são rapidíssimos de se fazerem. Não precisamos de batedeiras, nem de muito jeitinho ehehe (até-o mais-que-tudo-os-faz)

São de banana, não têm gluten e são adoçados com stevia. 



São excelentes snacks para levar para o trabalho e comer a meio da manhã, ou da tarde. Queques sem culpa e não é que conseguem ser tão docinhos?





O que vamos precisar:

1/2 chávena de farinha de arroz
1/2 chávena de leite
1/2 chávena de flocos de aveia
2 bananas maduras
1 colher de sopa de Stevia 
2 ovos
1 colher de chá de fermento
1 colher de café de essência de baunilha (opcional)

A parte seguinte é super simples, esmagar as bananas com um garfo, bater os ovos e misturar todos os ingredientes. Se acharem, que a massa ficou muito liquida, acrescentem-lhe mais um pouco de farinha de arroz.

Vão a forno pré_aquecido a 200ºC durante 15 a 20 minutos. Como os fornos são todos diferentes depois de 15 minutos, vão espreitando e façam o teste do palito.

*Bj sem espiga 
Bom apetite

domingo, março 19, 2017

Dia do Pai e um bolo sem gluten

Hoje celebra-se o dia do Pai e nada melhor do que celebra-lo em família e aproveitar o dia ao máximo. 
Um beijinho a todos os Pais, hoje é o V. dia, aproveitem-no bem.

Este bolo foi feito para uma família linda, que acham? Ficou engraçado?
  




Bolinho de chocolate com recheio e cobertura de ganache de chocolate! A relva é coco (o verde é corante sem glúten). Os bonequinhos são feitos de pasta de açúcar sem gluten.

*bj sem espiga

segunda-feira, março 13, 2017

Mini queques de cenoura | sem gluten

Fazia sempre com a minha avó G. uns mini queques que me deixarão recordações eternas. Em conjunto com ela, na mesa de pedra, dava-me as forminhas de papel para eu separar em cima dos tabuleiros, que ficavam prontos para ir ao forno. Enquanto estava entretida ela preparava a massa dos queques, e eu já só entrava na parte final, a melhor parte! Aquela em que a minha avó me deixava comer ás colheradas o resto da massa que ficava agarrada à taça, onde tinha batido à mão a massa dos mini queques. Hoje, acho que deixava mais de propósito...só para me ver satisfeita!

Lembro-me dos queques dela até hoje, do cheirinho e do sabor, mas com muita pena minha não os consigo fazer sequer parecidos. Foi com ela que tomei o gosto pela cozinha, a por amor na comida. Ela dizia-me que tudo o que se faz com amor tem outro sabor e é a pura das verdades! Talvez o amor dela fosse gigante, porque me lembro destes queques até hoje. Ela fazia-os assim, nestas mini forminhas, e eu achava-lhes graça. Assim que vi estas forminhas de papel lembrei-me logo dela e fiz estes queques de cenoura, bem rápidos de se fazer e de comer tambem ahahah


Receita:
i) No copo do liquidificador deitar todos os líquidos:
100ml de óleo
3 ovos inteiros
3 cenouras (retirar a casca e parti-las em pedaços pequenos)
1 pitada de sal 
Misturar, no liquidificador os líquidos, até obterem uma massa homogenea sem pedaços, liquida. Reservar.

ii) Numa taça, à parte, juntar todos os sólidos:
2 chávenas de farinha sem gluten (usei Doves Farm)
1 a 2 chávenas de açúcar (ao v. gosto)
1 colher de chá de fermento sem gluten para bolos

Juntar a mistura liquida aos sólidos e ir mexendo, envolvendo com a colher de pau.

Verter a massa nas formas de papel ou de silicone e levar ao forno a 180ºC ente 10 a 15 minutos, aconselho sempre a fazerem o teste do palito para ver se está cozido.
E estão pontos. 
Bom apetite
*bj sem espiga

segunda-feira, março 06, 2017

Torta de bacalhau sem gluten

Cá estamos com cara de segunda feira! E mais um jantarinho assim "pró já comi isso ontem e não me apetece comer outra vez". Já vos aconteceu? Terem sobras e não vos apetecer comer? Então e se lhe dermos uma cara nova? Já marcha? Por aqui marchou e muito bem! As sobras de bacalhau com batatas cozidas de ontem fizeram esta maravilhosa empada ou torta de bacalhau, de hoje! Bem, maravilhosa não ficou porque rebentou (estava à pressa e verti o recheio muito quente por cima da massa) mas meus amigos virtuais por dentro ficou assim boazuda de cair para o lado! Aliás assim até conseguem vê-la por dentro!!





A receita é simples: desfiar as sobras de bacalhau, partir as batatas, o ovo as verduras e as cenouras aos cubinhos e colocar numa frigideira regado com um fio de azeite e pimenta q.b! Envolver tudo e adicionar um pacote de natas, deixar cozinhar mais um pouco e está feito! Depois deixem arrefecer (se não queima a massa e rebenta) e prepararem a vossa massa da Croustipate sem glúten estiquem-na mais um pouco, para lhe dar uma forma mais quadrada, e vertam o preparado de bacalhau  por cima. Fechem-na como se fosse uma torta. 
Dica: Para que não se abra, no forno, nas pontas onde a fecham colem com um ovo batido e pincelem a torta com o resto! Depois deliciem-se sem glúten😘

sábado, março 04, 2017

Panquecas de iogurte | sem gluten

As panquecas são dos lanches mais pedidos cá por casa. De todas, as preferidas são as de banana, no entanto, por vezes, faltam-me alguns ingredientes e tenho de improvisar. Foi o que aconteceu desta vez e não é que saíram mesmo boas?

Estas são sem açúcar, pois há quem goste de lhe colocar todo o tipo de doce que encontra cá por casa, desde Nutella, compotas, chocolate derretido...enfim, o-mais-que-tudo gosta delas doces e por isso não incluí açúcar na preparação e também porque eu gosto delas mais para o salgado, gosto de as acompanhar com queijo ou manteiga.



A quantidade de panquecas depende sempre do tamanho de que as querem. A receita abaixo rende 8 panquecas, do tamanho que está nas fotos. Se quiserem mais é só dobra a receita. Podem sempre ter massa pronta no frigorífico para fazerem no outro dia. 

O que vamos precisar:

1 ovo
1 iogurte natural (se preferirem mais para o doce usem açucarado)
1 chávena de chá de leite
1 chávena de chá de farinha sem glúten
1 colher de chá de sal
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de café de fermento em pó


Mãos na massa:
Numa tigelinha juntem todos os secos (farinha, sal, bicarbonato de sódio e o fermento).
Numa outra tigela misturem a gema, o iogurte e o leite e adicionem aos secos.
Mexam muito bem até obterem uma mistura homogénea.
Batam as claras em castelo e adicionem, envolvendo lentamente, à massa para que fiquem mais gordas e bem fofinhas.

Seguidamente aqueçam uma frigideira anti-aderente. 
Coloquem um pouco de massa, na frigideira quente, e fritem em lume brando.
Quando a massa começar a formar bolhinhas está na altura de a voltar. Virem-na e fritem do outro lado.
Vão repetindo o processo até terminar a massa.

Bom apetite
*Bj sem espiga e boas "gulodices"



quarta-feira, março 01, 2017

Bolo de aniversario Maizena | Sem glúten

Neste fim de semana entre as várias brincadeiras de Carnaval, jantaradas cá em casa e uma noite de festa folia em Torres Vedras, foi o aniversário da minha melhor amiga, a minha Mãe. 
Tenho ideia de já vos ter contado a minha historia com ela e a Maizena. Em criança, acho que já teria sintomas de Doença Celiaca, apesar de me serem sempre diagnosticadas muitas outras coisas. Lembro-me de passar noites e noites no hospital sem dormir com crises, angustias e afins... Lembro-me de não aguentar nada no estômago, a minha mãe, coitada, bem me queria alimentar e sem saber da DC, dava-me com imensa paciência bocadinhos de pão, ao que eu não tolerava de maneira alguma e nada ficava no estômago. E a minha barriga sempre e cada vez mais distendida. A minha mãe aflita tudo fazia para me dar alguma coisa que se mantivesse no estômago. Era Cerelac, Nestum, todas as papas apareceram lá em casa e só de uma eu gostava. Só uma me garantia saciedade, conforto e eram tão boa que rapidamente passou a ser a minha comida de eleição. Ainda hoje faço uma papinha Maizena de vez em quando. E faço-a sempre diferente, ou com casquinha de limão, ou com um gostinho a canela, ou com uma gema de ovo....hummm 
Inconscientemente, sem saber da Doença Celiaca, assumi alimentos que não me faziam mal, deixei de comer pão, pizzas, bolos por me fazerem passar mal e um mau estar gigante (ou seja alimentos com glúten). A minha mãe passou a comprar todos os pacotes de Maizena que haviam no mercado para alimentar a sua filha ahahahha e eu agradeço-lhe imenso a sua paciência e dedicação  infinita.
Este fim de semana ela fez anos e lembrei-me desta historia. Em jeito de homenagem fiz-lhe um bolo sem gluten, simulando um pacote de Maizena, ao qual chamei de MÃEZONA, porque é de facto isso uma mãe gigante que me alimenta todos os dias a alma de amor! 

                         


sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Miminhos de bacalhau ou pasteis de nata de bacalhau ou pasteis de nata da Noruega




A inspiração foi do blog Ponto de Rebuçado e pensei logo em fazer. Gosto muito de me inspirar noutros blogues, mas depois, quando vou por a receita em pratica não sigo tudo à letra. Gosto muito de improvisar com o que tenho à mão, e desta vez não foi diferente. Pareço que sinto todos os paladares na boca antes de os provar....sabem? Assim, como quando temos um projecto na cabeça ---hum esqueçam lá isso! Vamos à receita dos pasteis da Noruega - ehehheh!!!


O que vamos precisar:
1 massa folhada sem gluten (Croustipate)
1 pacote de natas
1 cebola 
2 dentes de alho
1 fio de azeite
coentros q.b.
pimenta q.b e sal
Courgetes em cubinhos pequeninos

Mãos na massa:
Cozer o bacalhau em água. Assim que estiver cozido, retirar as peles e as espinhas e desfiar. Reservar.
Numa frigideira com um fio de azeite alourem a cebola e o alho, tudo bem picadinho. Quando loura adicionem-lhe o bacalhau, sal, pimenta, os coentros picados e envolvam tudo. Pouco depois adicionem as courgetes e deixem cozinhar mais um pouco.
No fim juntem as natas e cozinhem mais um pouco.

Massa:
Com a ajuda de um rolo estiquem a massa para ficar mais fininha e render mais pasteis. Forrem as forminhas e piquem a massa com um garfo. Encham-nas com o preparado de bacalhau e levem ao forno a 180ºC até ficarem lourinhos.
Deliciem-se porque são O-TI-MOS! Obrigada Ponto de rebuçado pela partilha.

*Bj sem espiga

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Pescada escondida

A pescada que ninguém percebe que está a comer! 


Disse à minha mãe que ia fazer pescada cozida para o jantar e ela  torceu logo o nariz! Percebeu que ia usar pescada congelada, que na verdade tem um gosto pouco ou nada parecido com a pescada fresquinha. Aconselhou me a não fazer, porque vinham pessoas cá a casa e isso não se dava a visitas eheheeh Arrisquei e todos aprovaram (ela incluída).

Partilho convosco como fiz e vão ver que todos vão gostar aí em casa. Na verdade é um descanso este prato de forno e conforto, quando temos visitas. O prato fica no forno e nós junto das visitas. O que mais gosto!! 

O que vamos precisar:
4 lombos de pescada (para 4 pessoas)
3 dentes de alho
1 cebola 
1 alho francês
300g de cenoura ralada (3 mais ou manos)
sal e pimenta
1 limão
coentros q.b.
delicias do mar sem glúten, a gosto
Batata palha sem gluten

De inicio preparei logo o seguinte:
Duas fatias de pão sem gluten + coentros q.b + 2 ou três colheres de pão ralado sem gluten + um fio de azeite +1 dente de alho grande
Num triturador reduzir tudo pó. Vamos ficar com um belo pão ralado aromatizado a alho e coentros - esta mistura, enquanto está no forno vai deitar cá um cheirinhoooo, que vão ver! Reservem.

Para o bechamel:
50cl de leite
60 g de Maizena
60 g de manteiga
sal e pimenta
1 pacote natas

Mãos na massa:
Temperar os lombos de escada com limão, sal e pimenta a gosto. Levem-nos a cozer em cerca de 50cl de leite junto com um dente de alho e tomilho (pode ser outra erva aromática que gostem ou que tenham em casa). Quando cozido retirem a pescada e lasquem-na. Reservem. Assim como o leite da cozedura.

Numa frigideira com um fio de azeite alourar a cebola picada e o alho picado. Quando refogados adicionem o alho francês e a cenoura ralada até amolecerem. E por fim juntem-lhe a pescada desfeita e as delicias do mar. Envolvam tudo e reservem.



Para o molho bechamel:
Num tacho levar ao lume o leite onde cozeram a pescada, a manteiga, sal e pimenta e a Maizena (desfeita num pouco de leite frio). Vão mexendo sempre até engrossar. No fim adicionem as natas e envolvam cozinhando mais um pouco.

Num tabuleiro de ir ao forno colocar uma camada de batata palha no fundo, por cima a mistura de pescada e por fim outra camada de batata. No fim, por cima, vertam o molho branco com a ajuda de uma colher, distribuindo uniformemente por todo o tabuleiro. Se quiserem piquem com a ajuda de um garfo para ajudar o molho a ir para baixo e a preencher todos os vazios deixados pelas batatas. 
Polvilhem com o vosso pão ralado e levem ao forno até ficar bem lourinho. 

Bom apetite 
*Bj sem espiga

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Dia dos namorados sem gluten

(eu sei que foi dia 14 de Fevereiro) 

Desculpem-me meus queridos leitores, que só me seguem por aqui. Tenho publicado bem mais no Facebook do que no blogue. Mas é só mesmo porque o telemóvel está sempre mais à mão, nada contra vocês.

O dia dos namorados passou e eu nem por aqui passei, que vergonha!!!!

Deixo-vos o meu bolinho sem gluten que fiz especialmente para este dia tão especial e para receber um casal de pombinhos que se juntou a nós para jantar!

Cá está ele bem piroso e lamechas como o amor deve ser!🤣🤣verdadeiro! 





O bolinho é de cenoura tem recheio de leite condensado e cobertura de pasta de açúcar, tudo mas tudo aqui é gluten free, claro! 




Adorei fazê-lo...e come-lo também, váa! Estava bem bom!

segunda-feira, janeiro 23, 2017

Trança folhada com creme de pêra| Sem glúten e Sem Lactose

No fim de semana apeteceu-nos um docinho! 
Mas sabem aquela vontade que nos dá e não sabemos bem o que comer para matar a gula? Era assim que estávamos!! 
Tinha-me sobrado uma massa folhada, dos pasteis de nata que tinha estado a fazer, e pensei usa-la numa tarte de pêras! Pois bem, não saiu tarte mas sim uma trança folhada. Tudo a ver, dizem vocês! 


O recheio pode ser do que quiserem, ou do que mais gostarem....de puré de fruta, de cubinhos de pêra ou maça polvilhados só com canela, de uma compota mais gulosa que tenham em casa, com mais ou menos açúcar, enfim, vocês decidem. 



 * com as laterais redondas que sobraram, uni-as e fiz essa amostra de folhado eheheh nada vai fora, claro!

O meu recheio fiz assim:
O que vamos precisar:
1 embalagem de massa folhada Croustipate
3 pêras descascadas e cortadas em cubos
1\4 de Courgete descascadoe e cortado em cubos
Sumo de uma laranja grande
1 a 2 estrelas de anis
1 pau de canela
5 a a 6 colheres de sopa de açúcar (podem optar por não colocar açúcar, como optar por colocar mais)
1 ovo para pincelar 
amêndoa ralada ou sementes ou açúcar em pó para polvilhar 

Mãos na massa:
Num tacho levar ao lume o sumo de 1 laranja com os restantes ingredientes, mexer para envolver todos os ingredientes e se misturem com o sumo da laranja. 
Deixar ferver bem, indo mexendo aos pouco,  até ficar meloso e a fruta suficientemente mole. Retirar as estrelas de anis e o pau de canela e com a ajuda de uma varinha mágica reduzir a mistura a puré. Se acharem que a mistura ficou muito liquida levem de novo ao lume até engrossar mais um pouco.

Estendam a massa da Croustipate, com um rolo de estender, aproximado-a de um formato mais rectangular ou quadrado. Cortem as partes redondas das pontas e reservem.*


O corredor que fica no meio será onde vão colocar o recheio. Nas laterais façam cortes na diagonal iguais de um lado e do outro (o meu exemplo não serve ahahah). Com um pincel molhado humedeçam as laterais, para que colem umas ás outras, quando estiverem a entrançar.


Comecem por enrolar uma das pontas de baixo e depois comecem a entrelaçar, colocando uma ponta de um lado por cima do recheio e depois uma ponta do outro lado e assim sucessivamente até terminar. 

Pincelem toda a trança com um ovo batido + um pouquinho de agua e polvilhem a gosto com a amêndoa picada ou sementes. Levar ao forno (190ºC)  até que fique cozida e dourada. Retirem do forno e deixem arrefecer um pouco. Podem devorar!!

*Bj sem espiga
Bom apetite